Cinco Elementos

Cinco Elementos

Cinco Elementos da MTC

Cinco Elementos da MTC

Os Cinco Elementos da MTC, os quais compõem a natureza: Madeira, Fogo, Terra, Metal e Água têm sua primeira citação no final da dinastia Zhou, entre 480 a.C. e 221 a.C..

Conhecida na China como Wu Xing, a Teoria dos Cinco Elementos agrega simbolicamente características, como: sensações e sentimentos, cores, planetas e preferências alimentares. Permitindo, assim, um rico diagnóstico sobre o paciente a partir do comportamento, tonicidade da voz, preferência por doces ou salgados, da compleição física, dos odores, da umidade no corpo, da respiração, do pulsar do pulso e do aspecto da língua.

Estes Elementos estabelecem relações entre si, as quais são: Lei de Geração, Lei da Dominância e Lei da Contra-dominância. Entretanto, esta última relação, indica patologias no indivíduo, auxiliando no diagnóstico para tratamento com acupuntura.



Assim, os comportamentos humanos estão associados aos diversos elementos, portanto, o terapeuta poderá saber qual elemento está mais forte ou fraco, então, poderá tonificar ou sedar, buscando o equilíbrio do paciente. Assim, num olhar inicial, são observados todos os Cinco Elementos, mas por questões didáticas, estuda-se cada um em separado e com esse conhecimento, desenha-se o mapa do paciente.

Cinco Elementos, lei de Geração.

Lei da Geração dos Cinco Elementos.

Lei da Geração dos Cinco Elementos

Determina a relação mãe-filho. Elementos em equilíbrio, há saúde. Entretanto, uma mãe forte, enfraquece o filho. Por exemplo, excesso de Fogo – Coração – sobrecarrega a Terra – Baço – e este não consegue transformar adequadamente os nutrientes.

  • Fogo gera a Terra
  • Terra gera o Metal
  • Metal gera a Água
  • Água gera a Madeira
  • Madeira gera o Fogo



Cinco Elementos e suas Dominâncias

Lei de Dominância dos Cinco Elementos

Lei da Dominância na MTC

A Lei da Dominância é caracterizada pelo controle ou super atuação entre os órgãos: que na prática clínica é mais uma ferramenta de diagnóstico.

Por exemplo, na MTC, quando o Fígado controla o Estômago – a digestão é rápida, conquanto esse controle é muito forte, portanto, pode provocar Azia.

Assim, na visão da Medicina Ocidental, sabe-se que o Estômago, em condições patológicas, produz excesso de íons H+, baixando o Ph do Estomago e provocando Azia.

  • Madeira é avó da Terra – que penetra na Terra
  • Terra é avó da Água, que suga a Água
  • Água é avó do Fogo, que é apagado pela Água
  • Fogo é avô do Metal, que é derretido pelo Fogo
  • Metal é avô da Madeira, que é cortada pelo machado (Metal)

Lei da Contra Dominância

A Contra Dominância são relações patológicas entre os Elementos, contudo, a MTC as expressa com Metáforas:

  • Fogo evapora a Água
  • Água deixa a Terra muito úmida
  • Terra dura não deixa a raiz da Madeira entrar
  • Madeira forte não é cortada pelo Metal
  • Metal tão duro que o Fogo não derrete



Contudo, cabe considerar que a Teoria dos Cinco Elementos é importante ferramenta de diagnóstico, pois podemos associar as emoções, os sabores, as cores, etc. aos diversos órgão do corpo. Então, a partir de um sentimento dominante no paciente, é possível saber, qual órgão está em desequilíbrio.

Por exemplo, uma pessoa que chora muito, possivelmente terá uma deficiência de Pulmão, pois este, é associado ao Som do Choro. Sugestão: relaxe com o barulhos das ondas.

Relaxando com o barulhos das ondas.

Cinco Elementos e Sons

  • Fígado – grito
  • Coração – riso
  • Baço – canto
  • Pulmão – choro
  • Rim – gemido
Fructus Ziziphi Jujubae

Fructus Ziziphi Jujubae

Cinco Elementos e Sabores

  • Fígado – azedo
  • Coração – amargo
  • Baço – doce – Fructus Ziziphi Jujubae tonifica o Baço.
  • Pulmão – picante
  • Rim – salgado
Cores na MTC

Hibisco

Cinco Elementos e Cores

  • Fígado – verde
  • Coração – vermelho – Hibisco alegra o Coração.
  • Baço – amarelo
  • Pulmão – branco
  • Rim – preto e escuro

Revista Scielo

Assim, com tantas informações sobre o indivíduo, permitindo riqueza no diagnóstico, a Teoria dos Cinco Elementos desperta a curiosidade e o interesse da comunidade científica.

E como resultado, já ganhar espaço em nossa literatura científica, como por exemplo, na Revista Scielo, no artigo Shen: categoria estruturante da racionalidade médica chinesa. Acesso em 03/10/2017.

Sobre o Autor

Maria Rita Hurpia

Maria Rita Hurpia author

Acupunturista, escritora e administradora de sites.